Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Valongo do Vouga

Notícias sobre Valongo do Vouga

Valongo do Vouga

Notícias sobre Valongo do Vouga

Macorafael

2007 Macorafael.JPG

O comentário do Ricardo Vidal sobre a inauguração das Instalações da MACORAFAEL merece ter visibilidade.

Quem decide e quem possa investir que pense mais sobre esta temática:



"Gostei de ver as novas instalações, penso que é uma mais valia para todos os Valonguenses, e falo por mim, sou um valonguense de 25 anos e aquilo a que tenho assistido é fabricas a fechar na freguesia (HANDY, SANTELMO,ALMAGRE, PEREIRA & VIDAL, ARRANCAR).

Espero que venha trazer mais emprego e apareçam mais investidores para ocupar o lugar de algumas empresas que citei anteriormente.

Parabéns Rafael. "

João Paulo Resende Gomes

Entrevista dada ao Semanário Região de Águeda pelo Ex Presidente do Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga




Dados biográficos:
Nascido a 16/08/1964
Casado;
Duas filhas de 10 e 12 anos de idade;
Natural de Óis da Ribeira;
Licenciado em Física pela Universidade de Aveiro;

Resumo do percurso profissional:
Oficial da Força Aérea Portuguesa
Professor de Físico- Química do 8º ao 12º ano de escolaridade;
Director de turma, Delegado de Grupo disciplinar, Vice-Presidente do Conselho Executivo da EBI de Santa Cruz da Trapa, Presidente do Conselho Pedagógico do A.E.V.V. , Presidente do Conselho Executivo de Valongo do Vouga;
Autor de manuais escolares de Física para o ensino secundário.

Professor Joao Paulo Resende Gomes.JPG
O que o marcou mais neste Agrupamento?

Cheguei a este Agrupamento em 2003, vindo de uma unidade de gestão do distrito, de Viseu. Aqui encontrei uma comunidade escolar dinâmica onde já existia uma tradição de envolvimento dos parceiros educativos nas actividades que davam corpo ao Projecto Educativo deste agrupamento. Foi pois o dinamismo facilmente observável nas já então existentes ofertas educativas distintas, na pista de mini-golfe, na oficina de serralharia mecânica, no projecto férias, que registo como um dos traços marcantes. Penso que este traço estará sempre na senda do projecto educativo deste agrupamento, que se traduz num grande número de projectos e actividades em prol dos nossos alunos.
Não posso deixar de referir também os funcionários, docentes e não docentes de excelente qualidade com quem privei ao longo destes anos e que muito me ajudaram a levar a bom porto tão grande navio.


O que o desapontou?

Visivelmente, desapontou-me o estado das instalações, nomeadamente do edifício da escola sede e de algumas escolas do 1º CEB, os laboratórios de Ciências muito pouco apetrechados bem como o estado primário em que se encontravam os serviços de apoio à actividade escolar, tais como os serviços de administração escolar, o órgão de gestão, e muitas outras tarefas que eram executadas sem o auxílio dos meios informáticos. Para os dias que correm, a escola sede era uma unidade antiquada e quase a roçar o obsoleto. O atendimento ao público e a imagem da escola junto do público, também não eram os melhores.
Ao longo do tempo, fui percebendo que em determinados sectores da nossa comunidade escolar, havia uma falta de espírito de entreajuda e de equipa que, julgo fundamental, para que uma organização tão complexa como esta, se possa considerar de excelência. Há ainda alguns elementos que não colocam os interesses da organização num patamar igual ou superior aos seus, o que cria um entrave ao avanço da dinâmica da escola.

O que gostaria de ter feito e não fez?

Gostaria de ter investido mais tempo na área pedagógica, nomeadamente em estreita colaboração com as estruturas intermédias de orientação e gestão escolar, ter gizado planos de melhoria para que os nossos alunos obtivessem um maior e real sucesso escolar. Afinal, continuo a conceber a escola como um lugar onde se ensina e se aprende em simultâneo e, por isso, um local de “oportunidade” onde independentemente da posição social todos os alunos, podem obter as ferramentas para serem os HOMENS válidos que a nossa sociedade tanto necessita.
Apesar de ter feito um esforço, admito que ainda falta um passo que, cada vez será mais pequeno, para que se possa olhar para a integração plena dos diversos ciclos de escolaridade na tão falada verticalidade entre o pré-escolar, o primeiro ciclo e os segundo e terceiros ciclos.
Gostaria ainda de ter conseguido dotar a escola de um biblioteca escolar e de um auditório para grandes grupos pois falta-nos estas valências para podermos optimizar os equipamentos que já temos disponíveis.

O que fez que se orgulhe mais?

A abertura da escola ao exterior e a modernização dos serviços foram assuntos que mereceram o meu total empenho para um objectivo que eu considero de primordial importância - a melhoria da imagem da nossa organização. É preciso não esquecer que o agrupamento em 2004 saía de uma época muito conturbada e eu senti que, para o bem de todos, seria importantíssimo afirmarmo-nos com uma imagem de eficiência, transparência e eficácia. Julgo que olhando para trás algo mudou.
Também me deixa muito feliz, ter conseguido, no final do mandato e, com a ajuda do observatório de qualidade, apresentar um diagnóstico do agrupamento feito através da avaliação interna e externa que pode ser a pedra de toque para os planos de melhoria que estou certo que aparecerão. Sobre este assunto considero fundamental para qualquer organização, uma cultura de avaliação de processos que contribua definitivamente para o avanço das mesmas.
Não posso deixar de referir a informatização de toda a escola sede com a extensão da rede informática a todas as salas, bem como a constituição das bases de dados de docentes, não docentes e discentes que estão na base da agilização de processos e procedimentos.
Outra área em que nos envolvemos ferozmente e que penso merecer destaque, foi a implementação da escola a tempo inteiro, nomeadamente as actividades de enriquecimento curricular no primeiro ciclo. Conseguimos envolver os nossos parceiros e ter a melhor solução para os nossos alunos e suas famílias.
A diversificação de cursos para jovens, como forma de combater o insucesso e o abandono escolar, bem como a introdução dos curso de educação e formação de adultos, foi outra área que nos motivou para o desempenho das tarefas executivas, permitindo-nos ver, nestas ofertas, uma possibilidade de algumas pessoas poderem alterar o rumo das suas vidas. Mais uma vez a escola a mostrar-se como um local de “oportunidade”.
É evidente que tudo o que referi anteriormente só foi possível, com a ajuda das pessoas que acreditaram que o caminho seria este que fizemos juntos, ao longo destes anos. Bem hajam!

Que recado gostaria de deixar para a opinião pública?

Gostaria de aproveitar para reafirmar a necessidade que a ESCOLA de hoje tem em ter todos os seus parceiros motivados, envolvidos e empenhados num projecto comum, para que os nossos/vossos filhos possam aprender mais e melhor nesta instituição. Acreditem na “escola”.


Qual o futuro do ensino no Agrupamento de Valongo do Vouga?

Continuar a procurar os melhores caminhos para que os jovens e adultos da nossa área de influência, possam aumentar as suas competências podendo desta forma ser uma mais valia para a sociedade em geral e para o Concelho de Águeda em particular.
É de realçar que, para o norte do nosso Concelho e, dada a posição geográfica que a nossa escola ocupa, as instalações e os conhecimentos que possuímos, bem como a elevada densidade de indústria na área da metalomecânica e o interesse que os nossos alunos têm demonstrado nesta área, aliado à sua fraca mobilidade, mesmo dentro do Concelho, seria de equacionar, a médio prazo, a possibilidade de se implementar um curso profissional na área da serralharia mecânica que desse continuidade aos alunos que quisessem continuar a aprofundar competências nesta área.

Que desafios o esperam agora?

Agora espera-me um desafio muito nobre, quiçá o mais nobre - voltar a ter alunos e tentar ensiná-los a serem homens e mulheres mais capazes e competentes, quer ao nível dos conhecimentos, quer ao nível pessoal.
Espero também ter algum tempo para actualizar a minha formação, aumentando também eu as minhas competências em algumas áreas que acho essenciais para poder encarar os próximos desafios de uma forma mais tranquila.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D