Notícias sobre Valongo do Vouga
Terça-feira, 5 de Abril de 2005
Obrigado! Um Mês e mais de uma centena de visitantes!
Ainda bem que há alguém que diz mal do que fazemos!
Se não têm a coragem de o dizer frontalmente,
em valorização do que merece tal atitude,
pelo menos, pelas nossas costas assim o fazem!

Obrigado!

Pela negativa, acabam por dar importância ao que fazemos e são tambem a razão de ser para a existência dos nossos propósitos!

Se estamos à espera que muitos digam bem do que fazemos, teremos que esperar, até que o dia do nosso funeral chegue!

Despropositado?

Não. Se repararem com atenção, efectivamente os comentários recebidos, foram poucos, mas foram excelentes e foram de pessoas com “tanto carisma” que “quase compensa” a falta notada do comentário de outras tantas pessoas!

Curiosamente constatamos que a nossa sociedade não está informada ou evoluída quanto aparenta e, são poucas as pessoas que sabem o que é um blog. Outras só se apercebem do que estamos a falar quando fazemos referência ao Abrupto do não menos famoso Pacheco Pereira!

Mas, lidando com a nossa modesta existência, voltemos ao cerne da questão, o nosso “Valongo do Vouga”…

Este Blog atingiu a maturidade de um mês de existência.
Que se pode esperar de um recém-nascido?
Isso mesmo! O encanto pelas suas gracinhas…
Se causar algumas dores de cabeça… ou se tirar umas horas do sonito de alguém se calhar até é normal!
E se fizerem uns “cá cás” ninguém deve levar a mal…
Não desviem o olhar, cheira mal na altura mas, depois fica tudo asseadinho…
É próprio da imaturidade e é o percurso do crescimento.
O tédio das mesmas questões? A tal idade dos porquês…

Eu diria: Se calhar dias mais rebeldes virão… porque se vamos crescer temos que “passar pela adolescência”, sim, algumas “pústulas” para espremer, a mania que “nós é que temos razão” e “os outros é que estão todos errados” e que “o acontece aos outros não acontece a nós” e “Quem não é a nosso favor é contras nós”! (Dejá vu?)

Se calhar até poderemos vir a perder alguma irreverência, mas até que nos calem, ou até que possamos dar o lugar a outros, teremos um espaço a percorrer.

Teremos que amadurecer para ponderar ou incrementar a atitude crítica ou a própria participação? Também é natural…

Também já estamos habituados aos velhos do Restelo, esses fantasmas sempre acompanharão a nossa sina Lusitana!

Valongo do Vouga não é à regra, nem dita a excepção!


Efectivamente este espaço está aberto a todos, mas não é o lugar comum, nem a convergência de todas as opiniões, talvez por isso mesmo, possa ser a intersecção das nossas diferenças. Perdoem a ousadia de pensarmos nisto, imaginando-o como se de uma consciência colectiva se tratasse.

A mutação e a metamorfose circunstancial certamente será o fado que nos vai acompanhar.

Até lá visitem diariamente, semanalmente, mensalmente, enfim, quando vos der na gana!

Em “onírico jeito Freudiano” aplicado à fruição deste blog, diria, continuem a vestir a pele do voieur, abram o sobretudo do vosso exibicionismo, enfim, fecundai este imaginário colectivo!

Valongo do Vouga agradece!


publicado por Filipe Vidal às 00:15
link do post | comentar | favorito

mais informações


pesquisar
 
arquivos
posts recentes

Ana Maria Xavier

Paula Lima - Corresponden...

Homenagem a Eusébio

Nova ponte em Brunhido

Chuva

Cheias

Bom ano novo!

Decoração de Natal

Armazém das Conferências ...

Nova ponte em Brunhido

tags

todas as tags

links

contador gratis
Fevereiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29


subscrever feeds